sexta-feira, 5 de maio de 2017

PE na Lixa e Olho na Lente com Well "Gordo"



Wellington Rodrigues “Well Gordo”
32 anos,18 de skate e 5 anos fotografando   
Local da Cidade de Camaragibe
 


 P&P  - Porque fotografar skate ?
Well – Porque são duas coisas que já fazem parte da minha vida há muito tempo, pois ando de skate desde os quatorze anos e quando era mais novo, eu ajudava meu pai que era fotógrafo, então só fiz juntar minhas duas paixões. 


P&P – Qual a diferença do skate/skatistas dos anos 90, quando você começou a andar, para os de hoje em dia?
Well - Acho que o grande diferencial seja a união, a gurizada de hoje em dia não se juntar pra fazer um obstáculo, criar algum pico novo, na verdade, até os picos que já existem os caras deixam acabar. A galera das antigas tinha mais união e atitude para fazer  as coisas acontecerem. 


P&P – Se você pudesse escolher um skatista e um pico para fotografar, quais seriam?
Well – Pô, sempre fui a fim de fazer uma foto de Adelmo Jr. mandando alguma manobra no monumento "Espaço Cósmico" do artista Yutaka Toyotada, que fica na Praça da Sé no Centro de São Paulo.

 
P&P – O que falta em Pernambuco para os fotógrafos também serem reconhecidos como ferramenta essencial no mercado de skate?
Well – Falta muita coisa, aqui o mercado de skate é fraco, o cara tem quer viajar muito e colar em diferentes eventos fora do estado, fazer contatos onde chega. De 2012 para cá, já fotografei alguns campeonatos profissionais, viajei e fiz contato em Aracaju/SE, Fortaleza/CE e outras cidades por onde passei. Ficar só aqui em Pernambuco não dá não, o skate aqui para fotografia é fraco, tem que fazer por amor mesmo. 
 

P&P - Influencias no skate e na fotografia?
Well – No skate é Og de Souza e na fotografia é Júlio Detefon e Pablo Vaz. 

P&P – Prefere fotografar em Rua ou Skatepark?
Eu prefiro rua, que tem um diferencial, mas rua aqui é fraco, aí termino fazendo muita foto em pistas e campeonatos. 



P&P  - Se fosse escolher apenas uma foto de skate feita por você, qual escolheria?
Well - Uma que eu tirei de Anderson Neném em 2014, durante o Circuito Venice no Parque dos Cajueiros em Aracaju/Sergipe.

P&P   - Quando se fala de skate em Camaragibe, logo lembramos da Praça Coimbral...Qual a importância desse lendária pico para você.
Well – A Praça Coimbral foi o meu primeiro pico de skate, foi lá que aprendi 80% das manobras, onde fiz vários amigos (E inimigos também) rsrsrs, não só de Camaragibe, mas de outras cidades e estados quem vinham andar na praça.

P&P – Andar de skate e entender o lifestyle faz diferença na hora de fotografar?
Well - Acho que a gente tá um passo a frente, pois conhecemos bem o que estamos fotografando, muitas vezes já sabemos o que o cara vai mandar, pelo jeito que o skatista chuta a manobra, temos um noção se ele vai acertar ou errar. Compreendemos que nem sempre a manobra vai sair, mesmo com ele tentando várias vezes... Hoje em dia tem muita gente comprando equipamento bom pra fotografar, câmera, flash e lente, mas isso também não faz do skatista um bom fotógrafo, ajuda, mas não é tudo, algumas vezes o cara com uma visão boa, tira fotos massa até com câmera de celular.


P&P – O que você acha que o skatista deve fazer pra divulgar seu skate?
Well - O cara tem usar bem as redes sócias, chamar a galera para fazer fotos e vídeos, aproveitar e divulgar nas mídias, porque hoje em dia muita gente anda de skate e a concorrência é grande, então o cara tem que mostrar coisa nova, cola em pico de rua novo, mostrar seu skate, mas sem se esquecer da mídia impressa, ser eternizado numa foto de revista é massa, ainda tem gente que ler e coleciona revista.

P&P )Pergunta Polemica)- O que é mais chato, o skatista que fica opinando na hora da foto (Ângulo, lente, luz) ou aquele que mal deixa o cara chegar da sessão e já fica cobrando as imagens?.
Well – Com certeza é aquele que mal deixa o cara chegar em casa cansado da sessão e já fica perguntando quando vou postar as fotos rsrsrsrs.

Fotos da matéria: Acervo pessoal de Well "Gordo", Bruno Costa, Cesar "Formiguinha", Marcos França, Dewide Araujo, Tharcy Silva.

2 comentários: